Tarzan sugere tratamento com fototerapia na rede pública

por Comunicacao — publicado 06/05/2015 03h00, última modificação 29/10/2018 15h59
Pacientes com psoríase, vitiligo e dermatite seriam os principais beneficiados

O vereador Tarzan (SD) apresentou uma indicação na quinta-feira, 19, propondo o tratamento com fototerapia, recomendado ao paciente dermatológico que tem psoríase e vitiligo no município.

Ao defender sua propositura, Tarzan lembrou que existem vários tipos de fototerapia. “Segundo as pesquisas as mais úteis na dermatologia são as que possuem emissão de comprimento de ondas dentro das faixas de ultravioleta A e B", revelou.

O parlamentar explicou que a fototerapia tem sido utilizada como potente aliada no tratamento de doenças, como o vitiligo, a psoríase, os linfomas cutâneos e os eczemas crônicos.

“Acredito que o recurso facilitaria o tratamento adequado dos pacientes, evitando futuras doenças relacionadas e garantindo o bem-estar do munícipe, para que ele tenha uma vida normal”, completa o vereador.

Tratamento

Estima-se que no Brasil o número de pessoas que convivem com a doença ultrapasse 3 milhões. A psoríase afeta 2% a 3% da população mundial, ou seja, em São Paulo há cerca de 220 mil pessoas portadoras de psoríase. A doença é caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas que aparecem, em geral, no couro cabeludo, unhas, mãos, pés, cotovelos e joelhos, mas também podem afetar outras partes do corpo. A psoríase surge, normalmente, antes dos 30 ou após os 50 anos de idade. Porém, 15% dos casos são registrados ainda na infância. O paciente que for mal diagnosticado e tem psoríase há muito tempo, pode desenvolver a síndrome metabólica, com o acometimento de outros órgãos, levando ao aumento do risco cardiovascular e, consequentemente, ao risco de morte.

error while rendering plone.comments