Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Programa vai apoiar mulheres em situação de violência doméstica

Programa vai apoiar mulheres em situação de violência doméstica

Projeto prevê ajuda na busca por capacitação profissional, emprego e renda a vítimas que dependem financeiramente dos agressores
Programa vai apoiar mulheres em situação de violência doméstica

Foto: Marco Miatelo/Câmara de Barueri

Mulheres em situação de violência doméstica e familiar que dependem financeiramente de seus agressores terão uma ferramenta a mais para conseguir mudar de vida. Isso porque a Câmara Municipal de Barueri aprovou, na sessão de terça-feira, 9, a criação de um programa que vai promover a capacitação profissional e apoio na busca por emprego e renda.

O objetivo do Programa Mulher Independente é garantir autonomia financeira a essas mulheres, uma vez que muitas vítimas não conseguem deixar o lar onde sofrem abusos exatamente por depender financeiramente de seus agressores.

De acordo com o Projeto de Lei 055/2022, o programa pretende mobilizar empresas situadas em Barueri para oferecerem vagas de emprego a mulheres em situação de violência doméstica e familiar. Há também a previsão de levar orientação jurídica às vítimas para que tenham conhecimento sobre seus direitos e sobre as redes de apoio existentes para este fim.

A matéria prevê ainda que a Prefeitura poderá fazer parcerias com instituições públicas ou privadas relacionadas ao tema e que tenham interesse em contribuir com ações de conscientização.

“A violência doméstica e familiar é uma realidade que necessita de atenção. Pesquisas apontam que oito mulheres sofrem violência por minuto no Brasil”, justificou a vereadora Mary Rodrigues (PSDB), autora do projeto.

A parlamentar ressaltou que o aumento do desemprego e a crise econômica que afeta o Brasil agravou o problema, com aumento considerável no número de agressões domésticas. “O grande aliado para a redução desses índices seria a autonomia financeira que vem com oportunidades de trabalho, porque o principal motivo do silêncio das vítimas é a dependência financeira de seus agressores. É necessário criar políticas públicas que ajudem essas mulheres a quebrar este ciclo”, explicou Mary.